27 de fev de 2010

Hoje

Hoje é seu aniversário. E como eu queria poder te dar um abraço apertado e te desejar um monte de coisas do fundo do meu coração. Como eu queria poder desfrutar de uma mesma compahia de sete anos atrás. Como eu gostaria que nada tivesse mudado. Mudanças não são ruins, claro que não. Mas a nossa marcou nosso desencontro, nosso desconhecimento. E o quanto isso me fez não querer mais nada.
Mas tola eu fui de resgatar o que não podia ser regastado. Emendar retalhos e tentar aquecer um iceberg de distância com a colcha que minha mente cozeu. Uma amizade irrecuperável. Tão boba.
Não era à toa que nunca fui de voltar atrás. Voltei. E me arrependi.
Conversas trocadas, encontros que acontecem e não, meias palavras. Não me contento com o farrapo que viramos.
Te desejo tudo de melhor que posso. Todas as felicidades e realizações. E só isso. Não gostaria que fosse assim. Mas tenho que me respeitar e saber até aonde posso ir. Não me trair de novo pensando que posso consertar tudo sozinha. Chega.
Mas guardo o abraço que não vou te dar e o olhar que vai ficar só pra mim. Vou guardar pra mim sem amargura, eu juro.
feliz aniversário pra você.

26 de fev de 2010

Wishes !

(imagem de algum post remoto do fake doll )


Um bom retorno. Mais atenção. Menos preguiça e mal humor. Poucos dias chuvosos. Menos má vontade. Um pouco mais de sorrisos ( só um pouco ). Bom humor. Calma. Tranquilidade. Não me incomodar com qualquer coisa. Ligar menos ( bem menos ) pros outros e suas atitudes mesquinhas. Ligar mais ( bem mais ) pras minhas possíveis atitudes tolas e raivosas.
Eu quero de verdade entender o que está sendo pra mim a Universidade. Porque?
Simplesmente porque está sendo o maior desafio da minha vida. Porque tô apanhando pra caramba. Porque não entendo onde está dando errado. Só sei que está.
Mas a melhor parte é que, mesmo tendo pensando nisso muito vezes, decidi me arriscar e não desistir mais uma vez. Ver até onde posso ir. Isso de verdade mesmo, sem tentar me enganar por estar apenas com medo de largar uma coisa que é desejo de tantos e realização de poucos.
Não posso desistir e não vou me deixar abater. Preciso de um novo começo.
Dia 10 de março.
" Não vou me deixar embrutecer, eu acredito nos meus ideais.
Podem até maltratar meu coração que meu espírito ninguém vai conseguir quebrar "
Legião Urbana - Um dia Perfeito

25 de fev de 2010

Moda, moda e moda...cansa !

Euzinha, do alto dos meus 19 anos confesso que me interesso por moda há bem pouco tempo. Pra ser mais exata passei a me interessar mais quando começei a ler blogs. É engraçado como você lendo um blog ou outro sempre acaba vendo um link pra outro lugar e a pessoa fala de maquiagem , cabelo, unhas, etc e tal. Gosto de tudo isso sim, não vou mentir. Me cuido bastante. Tenho cabelo crespo e uso ele curto e o resultado disso é um black. Faço pemanente de três em três meses para criar cachos definidos e uso produtos caros ( ok, minha mão é cabelereira...mas mesmo assim dá trabalho ). Faço as unhas todas as semanas ( minha mãe também é manicure, mas minhas unhas eu mesmo faço aproveitando as milhaaaaares de cores de esmaltes que ela tem *hihi* ). Ok, me cuido bastante. Uso maquiagem sempre, não necessariamente dessas caríssimas ( mas minha irmã é maquiadora, então de vez em quando confesso que roubo uma coisa ou outra da super maleta dela da Bourjois, M.A.C e afins ). E ligo sim em alguns aspectos e na medida do racional para a moda. Sou uma pessoa que gosta de se cuidar. Inclusive quanto à alimentação, até mesmo pela profissão que escolhi para mim.
Mas tenho que confessar que ultimamente tenho me irritado um pouco com essa modice toda por aí. Confessar que as vezes a democratização vira bestialização, cegueira e uma multidão andando por aí com acessórios/roupas que sinceramente não tem nada a ver. Uma multidão wayfarerana.
Nada a contra a liberdade do vestir/usar/ousar. Não é isso que quero dizer. Mas não sei nem se consigo passar o que tenho sentido ultimamente por toda essa onda de uma multidão fashion victim.
Sinto um quê de afetação e um esforço pra gostar de coisas apenas porque são trendy in. Sabe, isso me irrita. Posso estar aproveitando a maré do desabafo das outras blogueiras que leio com relação a ditaduras de beleza e etc. Também tenho meus argumentos em relação a isso. Como mulher e como a profissional que escolhi ser.
Sei que prezo a saúde acima de todas as coisas. Mas deixa isso pra um assunto de outro post.
E quanto à moda não sei. Não sei se sou eu que só parei pra perceber agora esse universo e na verdade ele sempre foi assim e isso me passava batido ou se todo esse meu sentimento em relação a essa " democratização do trendy " é real. Não sei mesmo. mas vou esperar passar um tempo e com certeza vou voltar nesse assunto por aqui.
Não termina por aqui. Podem ter certeza.
E o protesto? Abaixo também à ditadura da moda !

17 de fev de 2010

Ânimo !



Agora que o ano enfim vai começar está na hora de pensar o que fazer de verdade!
Se preparar para recomeçar uma rotina ou mesmo assumir uma completamente nova.
Não importa.
Pensei nesse post como um refresh para esse ano que começará útil a partir da semana que vem.
Que realizemos nossas tarefas com um ar renovado. Que tentemos a cada dia fazer as coisas de uma maneira mais prazerosa. Reclamando menos, realizando mais. Claro, não to falando pra simplesmente ignorar e fazer cara de paisagem para os problemas que possam existir. Mas sim tentar ver as cores com outras lentes.
Sabe, eu ando precisando tanto disso que resolvi compartilhar aqui. Se você também estiver precisando pense nisso ! Ou se não tente ao menos passar isso adiante.
Te desejo toda sorte do mundo e manhãs , independente se chuvosas ou ensolaradas, inspiradoras e cheias de, gotas ou raios, de motivos para seguir em frente.

"... pra nós todo amor do mundo " - Los Hermanos - Morena

15 de fev de 2010

Invictus

" Eu sou o dono do meu destino. Eu sou o capitão da minha alma "






Invictus retrata a história da chegada à presidência da África do Sul por Nelson Mandela, prisioneiro há 30 anos, logo após a queda do Apartheid.
Tem Morgan Freeman ( escolhido pelo próprio Mandela ), Matt Damon ( que me provou ser mais que um Bourne ) e foi feito pelo Clint Eastwood beirando seus 80 anos.
É comovente e simples. Direto, sem firula. Conta a história tão somente e foi o suficiente para me emocionar.
Tá certo, eu sou suspeita. Pelo tema, pela minha preferência por filmes baseados em fatos reais, pelo Clint Eastwood, pelo Morgan Freeman e Mandela. Sou muito suspeita.
Mas deposito aqui minha impressão pelo que a obra traz, e não somente pelo que me causou.
Sabe, o filme tem aquele quê de "eu sei o que vai acontecer...vai dar tudo certo no final" e isso eu acho chato em qualquer filme. Mas acreditem, não é chato.
Te prende, te emociona e te faz admirar aquele homem. Sei que existe toda aquela lente cor de rosa cinematográfica quanto a mostrar a história do Mandela e a pessoa dele. Mas é cativante mesmo e te faz pensar tudo o que ele passou e a pessoa que ele é depois de tanta adversidade. Ahh, e é um dos favoritos as Oscar também. =)
Simples e direto. Atinge o ponto. Atinge o coração

14 de fev de 2010

Era uma vez

Uma menina que espalhava a alegria aonde passava, que sorria seu sorriso de sol, que gargalhava uma risada sem vergonha e sonora.
Era uma vez uma menina que sonhava em ser grande, tão grande que ultrapassasse o céu e pudesse ver as coisas lá de cima por baixo das nuvens.
Essa menina uma vez quis que ninguém a deixasse, que ninguém partisse, que nada nunca desse errado, quis desejar e ver o desejo cumprido e quis muito mais.
Essa mesma menina desejou não crescer nunca pra não ter que ver seus desejos esticando junto com seu corpo. Ela mesma depois não quis jamais voltar a ser menina novamente. Aprendeu a gostar das coisas como elas são porque aprendeu em algum lugar que é assim que a vida é.
Ela cresceu e viu seu corpo se esticando, seus desejos aumentando e esses eram desejos diferentes dos de antes.
Ela quis por alguns segundos parar no tempo, ela também quis chorar muito. Ela foi muito feliz diversas vezes e aprendeu que passa. Ela quis partir milhões de vezes mas viu que também passou.


Aprendeu que passa, sendo bom ou ruim.


Mas o que ela não aprendeu, mesmo tendo deixado de ser aquela menina do sorriso de sol há tanto tempo e se tornado uma mulher, foi que por mais que passe não significa que não vai deixar marcas. Essas ela tem tem desde que era aquela menina e só descobriu que não as percebia.
A menina é mulher e não tem os mesmos desejos, tem marcas a mais, é quieta e reclusa e aguarda que tudo passe mais uma vez.

12 de fev de 2010

Back Again !

Voltei. Estou tentando de novo ter um blog.
Talvez seja burrice tentar recomeçar um blog justamente quando estou passando por um momento dificíl. Não sei se é. Mas se for vou descobrir. Pretendo não desistir de escrever o blog ou mantê-lo até quando eu achar que todas as palavras que colocarei aqui são pra ser mesmo deste espaço. Leio alguns blogs assiduamente e gosto bastante deles. Eles estarão certamente na minha listinha aqui ao lado. Leio e gosto e eles de alguma forma me fazem também querer escrever e expressar o que penso para mais pessoas.
Gosto muito de ser leitora...espero que consiga escrever.