19 de jul de 2010

Uma pausa para...


 
Um grito. De dor. De alívio. De fôlego. 
Uma pausa para mim.
Uma pausa do ruim.
Para enfim dizer sim
Para tudo que vem
Que venha lindo
Que venha vindo
Se ruim findo
Se bom, bem vindo !

18 de jul de 2010

Tentando ser, tentando ter.


Vi um filme esse fim de semana que dizia: "você não é o que você tem". Bonito de ouvir e forte o suficiente para se refletir bastante. Aliás o filme todo é carregado disso. Pra mim carregado de mentiras. Porque justamente quando você pensa nisso e olha em volta percebe que está numa teia impossível de se livrar. Quando você se dá conta dorme pensando em acordar para resolver um turbilhão de coisas e acorda pensando em dormir e planeja um dia , um mísero dia, de descanso. E passa a vida toda planejando e tentando ser alguém. Tentando ter um bando de coisas que de nada te servirão. Entender e enxergar isso é tão dolorido que quando caímos na real logo tratamos de achar sim que o twitter tem serventia, que o orkut nos aproxima das pessoas - e que não é apenas aquele circo de horrores e alteregos -, que o Iphone 4 mudará nossas vidas e por aí vai. Digo isso no material porque é mais fácil que citar os mil apegos que criamos sobre o que é necessário para se "chegar a algum lugar" - tipo fazer faculdade e gastar a vida procurando a mesma coisa que todo mundo. Não, o filme não me fez pensar positivo e procurar ter uma vida mais simples e desapegada. O filme me deu um soco no estômago - como se fosse preciso mais um - e pensar no quanto estamos perdidos e me questionar mais ainda " que que eu tô fazendo aqui?". Porque estou nadado num mar sem fim, nadando contra uma corrente avassaladora - e que o resultado não será bom isso eu sei - e perdida apenas seguindo o que "é certo"?
Me falta coragem, me falta ânimo e digo até palavras - percebe-se pelo texto pobre. Não sei se grito, se xingo, se choro, se permaneço imóvel ou se simplesmente continuo vivendo uma coisa que eu só quero que chegue ao fim.

14 de jul de 2010

Aulas de balé

Passando pra divulgar !
Se você que passa o olho aqui no blog de vez em quando e mora no Rio de Janeiro pode aproveitar essa chance.
É o seguinte lá na UERJ vão rolar umas aulas de balé de graça. SIM de g-r-a-ç-a. Eu, claro, já estou devidamente inscrita mas como ainda tem vagas disponíveis e também pessoas no aguardo do preenchimento de turmas para o início das aulas, achei que seria uma boa falar por aqui né.
O esquema é o seguinte :

São três turmas a princípio:
de 4 a 7 anos- 14 ás 15 horas
de 7 a 13 anos- 15 ás 16 horas
a partir de 18 anos- de 16 ás 17 horas
Sempre nas Quartas feiras na UERJ bloco F, no 9 andar, sala 9145 F (Instituto de educação física)
Curso gratuito, e aberto a qualquer pessoa.
Endereço do blog: www.danceuerj.blogspot.com

E então, uma boa né! Divulgem se puderem e falem com seus conhecidos.

13 de jul de 2010

101 anos do Theatro Municipal

                                           (foto após a reforma)


Amanhã é aniversário do Theatro Municipal (lindo) do Rio de Janeiro ! Ano passado eu estive lá e acompanhei de perto um grande evento em comemoração aos 100 anos deste lindo prédio que ainda estava em fase de restauração. Agora, um ano depois depois e mais lindo de morrer que antes, o Municipal comemora mais um ano de linda existência oferecendo novamente uma programação bem interessante ao longo de seu dia.
Clique aqui para conferir a programação !
Mais uma chance de ver a Ana Botafogo dançando de pertinho e também de ouvir a orquestra sinfônica arrepiante ao vivo! 

12 de jul de 2010

Am I here?

Não sei se essa será a última postagem. Não sei mesmo. Sei que agora ando fugindo de escrever, justamente ao contrário do que sempre fiz. Não está mais adiantando. Acho que preciso de algum outro remédio, de alguma outra vida, algum outro ânimo, algum outro rumo, algum humor e mais uma lista enorme de alguns. Não sabia e nem tinha como advinhar que crescer era tão barra pesada ( nossa que Malhação isso, mas por mais clichê que pareça é exatamente o que estou pensando). Nem sei mais se quero isso. Talvez eu queira só ficar estagnada, sem me mexer, sem sofrer por antecipação ou não, sem ter que desgostar das coisas e sem achar que estou no caminho errado. Sem me sentir covarde. Queria me decidir. Queria saber de verdade o que fazer da vida, ou o que não fazer. Será que é sempre assim? Porque se for declaro desde já que isso não é a vida que eu quero pra mim.