29 de set de 2010

Carolina

 

Eu sabia que a canção existia. Eu sabia que a melodia era triste. Eu sabia que Chico Buarque a tinha escrito. O que eu não sabia de verdade era que ela é realmente minha.
Carolina, nos seus olhos fundos guarda tanta dor, a dor de todo esse mundo
Eu já lhe expliquei, que não vai dar, seu pranto não vai nada ajudar
Eu já convidei para dançar, é hora, já sei, de aproveitar
Lá fora, amor, uma rosa nasceu, todo mundo sambou, uma estrela caiu
Eu bem que mostrei sorrindo, pela janela, ah que lindo
Mas Carolina não viu...
Carolina, nos seus olhos tristes, guarda tanto amor, o amor que já não existe,
Eu bem que avisei, vai acabar, de tudo lhe dei para aceitar
Mil versos cantei pra lhe agradar, agora não sei como explicar
Lá fora, amor, uma rosa morreu, uma festa acabou, nosso barco partiu
Eu bem que mostrei a ela, o tempo passou na janela e só Carolina não viu.

28 de set de 2010

Fragmentos


Fragmentos nós somos de um pouco de tudo. " De cartas, poemas, mentiras, retratos" com a licença de Chico Buarque. Fragmentos do que queríamos ser, do que esperamos ser ou mesmo do que os outros gostariam que fôssemos. Fragmentos de pais, mães, irmãos. Fragmentos de momentos vividos e não vividos. Fragmentos de saudade do que foi ou do que ainda nem aconteceu. Fragmentos agudos, finos ou graves. Outros pontudos, afiados e com lâmina de corte. Não importa. Somos e seremos sempre parte de um todo. Parte de nós mesmos até, que nunca nos enxergamos inteiros - mesmo nos melhores espelhos. Sempre falta um ainda para completar ou um já foi para lamentar a incomplitude. Parece até que ser completo não tem graça. Parece até falso esses indivíduos que gritam por aí sua inteireza. Inteiros nunca seremos - e quem bom - porque nunca nos faltará motivo pra buscar o novo e este, por mais inteiro que seja, aos poucos se transforma em pedaços que se encaixam em cada fragmento da sua vida, até que se transforma em seu. Há essas pequenas particularidades em cada fragmento, cada um no seu qual e tal com sua importância.
Deixe que, aos poucos e da melhor forma, todos juntem suas peças.

19 de set de 2010

Leve


Queria que fosse leve essa minha fala. De algodão essa minha alma. De veludo essas minhas palavras. De algodão esses meus pensamentos. Porque esse meu coração é uma tempestade.

Só.

 
Nascemos e morremos sozinhos. Passamos a vida cercados de gente e, querendo sempre aumentar a roda. Quando pequenos temos os pais e (às vezes) irmãos, depois vem os namorados e amigos, depois os filhos ( que não são nossos, mas a gente tem cimentado na cabeça do contrário ). Passantes, todos passantes. Na solidão, por mais que não admitamos, nos encontramos. A solidão prova muitas coisas. Isso pode ser papo de uma caçula temporã e agora uma adulta de poucos amigos com suas dores e sem saber o que fazer com sua solidão..pode até ser. Mas não há nada mais sábio do que ter uma convivência harmônica consigo mesmo. Tenho tentado de verdade, porque na verdade finjo muito bem estar bem sozinha. Não fico. Tudo culpa desse maldito lugar-comum do mundo em par. Eu, que não me acostumo a não ter algum amigo pra passar um tempo (será que deveria me acostumar?) e que tento a qualquer custo acreditar que estou bem, vazia como estou, ainda não evoluí o bastante para gostar do fato de viver comigo a vida toda. Pra falar a verdade nem sei se, caso fosse outra pessoa, seria minha amiga. 
Me retorço pra tentar me achar confortável nessa minha pele dura como pedra. Me esforço para não sufocar as demais pessoas que vivem ao meu lado e tem amigos e uma vida sociável normal, mas é difícil. Grito para dentro e me sufoco. Até quando?

15 de set de 2010

Travesseiro vazio...

                                                                                                                        (imagem via)

É meu amor, tá ficando cada vez mais difícil acordar durante a semana com o travesseiro vazio. Olhar para o lado e saber que você não vai estar lá no seu sono pesado. Apesar de na minha cama ter sempre dois travesseiros ( sim , o outro é sempre teu e te espera ) o outro fica só e apenas repousa ao meu lado quando você não está. Eu levanto logo ( o que não aconteceria se você estivesse) e tomo uma chuveirada pra acordar o corpo e a mente, te ligar e te dar bom dia pra tentar ouvir sua voz como primeiro som. Sim, eu detesto te acordar. Mas meu amor, não me entenda mal. Essa falta não é  uma dessas  chatas e infinitas, mas sim daquelas com um gostinho bom de sentir pra matar logo. Porque quando chega a sexta feira com seus ares libertos, o que eu mais quero é me fechar no seu abraço quente e acordar no meio da noite sem lençol, pra quando amanhecer um sábado de afagos eu poder me abrigar no seu peito e voltar a dormir com seu cheiro. Bonjour.

10 de set de 2010

Arte de Portas Abertas



Tá rolando em Santa Teresa a 20ª edição do Arte de Portas Abertas. Sim, os milhões de alteliês e afins ficam abertos para visitação e bom...de graça né. Além dos ateliês tem o bairro em si, o bonde, a vista linda da cidade, os restaurantes, os bares enfim, tudo de bom !
Começou fim de semana passado, mas esse agora tem repeat. Vale a pena ! 
Aqui o endereço do site com mapinha e tudo. =)

9 de set de 2010

The thing about love...



Sabe quando você conhece alguém há muito tempo e essa pessoa é muito, mas muito parte da sua vida?
Sabe, esse post vai ser bem romântico, mas isso é porque eu preciso falar.
Sabe aquele amor de muito tempo mas que continua uma delicinha dos primeiros meses? Esse meu amor dura há 3 anos e meio. Sim, um longo namoro. Sim, um namoro muito diferente dos outros. Quando, há mais de três anos, me vi apaixonada pelo meu melhor amigo não sabia o que fazer. Quando soube que meu melhor amigo também era apaixonado por mim já sabia imediatamente o que tinha que fazer. O processo foi longo e digo até bem complicado até que pudéssemos enfim ficar juntos. Mas sabe quando as coisas valem a pena? É, eu sei.
Esse post é pra você meu amor !
Pra agradecer todos esses nossos dias juntos. Sua paciência com as minhas manias e chatices ( que não são poucas), seu enorme carinho, seu cavalheirismo ( sempre, sempre), seu abraço quentinho e gostoso, seus beijos inesperados, seus beijos apaixonados, seus beijos antes da gente dormir, seus beijos quando acordamos ainda de olhos fechados.
Esse tempo, de alguns momentos bem dificeis também diga-se, todo esse tempo que estamos juntos amigos/namorados, com nossas longas conversas filosóficas sobre a vida nas madrugadas, com nossa cinefilia, com nossas mensagens sem palavras, com nossos passeios pra olhar a cidade, conversas e mais conversas sobre os mais variados assuntos e suas mini aulinhas de História ( que você acha que eu não gosto, mas eu amo) me fazendo entender mais algumas coisas, nossas piadas sobre os emos e pseudocults...tudo isso, e mais um trilhão de incontáveis coisas que fazem com que sejamos únicos como sempre fomos desde o começo. Lembra do medo do tempo passar?
Não o tenho. Estou com você. Amor renovado. Meu amor.

te amo Lucas. <3


"So live, love, life, give love. It's who are we anyway."  ( Alicia Keys - Sure looks good to me)