21 de nov de 2010

Sr. Pipoqueiro



Que nostalgia que sinto, do alto de meus 19 anos, ao ouvir o barulho de seu sino. Que sabor vem a minha memória, doce cheiro que sinto. Lembro como era bom ouvir este sino e saber que meu doce lanche estava a caminho. Mas você, Sr. Pipoqueiro tinha esse seu ar tão triste, tão liso e tão pálido. Uma maneira que não casava com a alegria que seu lanche me trazia. Seu rosto á noite era iluminado apenas pela luz de sua lamparina. E eu podia ver por detrás de seus bigodes um murmúrio de "obrigado" recheado de satisfação quando feliz eu voltava, com pacote na mão, para o conforto de minha casa.
Era quase um ritual. Enquanto você, Sr. Pipoqueiro enfeitava meu lanche com confeitos coloridos, meu pai assitia de janela todos os meus passos e acompanhava meu sorriso. E foi assim, começou comigo, mas aos poucos quase todas as noites outras crianças da rua passaram a me acompanhar e voltavam felizes como eu para a doçura de seu lar.
Mas Sr. Pipoqueiro eu cresci. E além de gostar de outros doces lanches, passei a estourar meus próprios grãos ora que seriam acompanhados por um filme, ora apenas por vontade de comê-los. E Sr. Pipoqueiro, também passei a perceber que seu sino tocava cada vez menos frequentemente à noite. Até que lembro de me perguntar onde você estaria. Por muito tempo essa pergunta ecoou sem reposta. Será que o Sr. Pipoqueiro (que realmente já era um senhor) foi vender pipocas do outro lado (da vida e não do bairro)?
E quando eu estava no retorno do exercício de minha cidadania em pleno segundo turno de eleições presidenciais, te encontrei de novo Sr. Pipoqueiro. E para minha surpresa você me reconheceu e acenou com um sorriso. Quanto a mim, não te reconhecer seria impossível com aqueles mesmos bigodes e a mesma cara triste e lânguida iluminada pela lamparina. Não parei, apesar da vontade de fazê-lo. Apenas acenei de volta e retribuí o sorriso.
E ontem Sr. pipoqueiro, em pleno sábado à noite, ouço de novo um som familiar. Era seu sino tocando e o cheiro doce invadindo meu quarto. Apareci na janela e acenei. Não, dessa vez não era um aceno para que parasse. Era apenas para que você soubesse que ainda lembro do som de seu sino e que sinto falta desse tempo despreocupado em que minha ocupação nas noites era debruçar-me na janela e garantir alguns trocados de meu lanche.
Obrigada por me fazer relembrar o quão doce era aquele tempo.

Boa noite Sr. Pipoqueiro.

16 de nov de 2010

Stuck in a moment


You gotta stand up straight, carry your own weight
These tears are going nowhere, baby...
...and you are such a fool
To worry like you do
I know it's tough, and you can never get enough
Of what you don't really need now... my oh my...
A letra dessa música é linda. E triste. O motivo dela estar aí é justamente pelo seu título. Estar preso em um momento pode ser bom ou ruim, depende do momento claro.
No meu caso, não é bom.
Falo baixinho para mim mesma : vai passar.

9 de nov de 2010

Hello !

 Dando sinal de vida por aqui para falar coisas aleatórias:


(1) Não, eu não morri
(2) Não, eu não desisti do blog
(3) Sim, a faculdade está me transformando num zumbi
(4) Não canso de repetir: final de período é foda !
(5) Nesse meio tempo que fique ausente (meio tempo é sutileza né) aconteceram várias coisas que me inspiraram para escrever, mas, porém, contudo, todavia, entretanto, quando eu abria a página de postagem me dava uma preguiça imensa de transcrever tudo (até porque demoro bastante para chegar no que considero publicável para um texto) que minha mente jogava no meu desktop de pensamento.
(6) Estou com uma ideia de ter uma tag fixa aqui no blog !
(7) Demorei mais de quatro horas para escrever esses tópicos. Nesse tempo fui interrompida por ligações, corrigi textos, fiz um resumo pra prova de Economia, discuti sobre reforma agrária e terminei de montar um trabalho.
(8) Quando novembro acabar e eu finalmente deixar de ser um zumbi e voltar a ser uma pessoa, retorno aqui para colocar minha ideia da tag em prática e tentar escrever tudo que passou pela minha cabeça nesse tempão sem postar
(9) Não, eu não consegui ir ao show da Corinne Bailey Rae e estou muito muito puta
(10) Porque as pessoas ficam tão idiotamente impressionadas com a presença de artistas que, provavelmente muitas delas não faziam ideia de quem eram antes de brotarem no Rio, e fazem a maior bandalha na cidade por conta disso? ( Vin Diesel, Akon, Robert Pattinson e compahia...odeio vocês por bagunçarem, todos no mesmo fim de semana, minha cidade!)
(11) A cada ano que passa cada vez mais acho que o ENEM deveria ser esquecidissímo pelo governo e lembrado nos futuros livros de história como uma tentativa mais do que mal sucedida - dirão até pavorosa - de tentar unificar o vestibular desse país e tornar "justo" um processo de seleção indiscutivelmente cruel e ridículo (what a shame!)
(12) Deveria ser proibido às pessoas que não tem dom lecionar
(13) Porque tanta gente faz questão de arrumar problema com a mínima coisa que seja?
(14) Como o Black Eyed Peas é ruim ao vivo ! (meodeos!)
(15) Meu aniversário está chegando e, além de estar trabalhando no dia, ainda não sei o que vou fazer
(16) Nunca pensei que fosse gostar de Gossip Girl ( e já estou na segunda temporada a trancos e barrancos). Pra falar a verdade não gosto muito de séries. Sou velha e sem paciência para acompahá-las
(18) Tropa de Elite 2 acabou comigo. 
(17) Novembro acabe por favor !

Dezoito tópicos para explicar de maneira mais que resumida quase (ainda tem um montão de coisas) tudo que passou na minha cabeça fumegante nesse meio tempo.
Estou viva (estou quase começando a duvidar dessa informação nesse exato momento) e sobrevivendo (por enquanto) e firme e forte rumo ao quinto período.

beijos e boa semana !