26 de fev de 2011

Particular

                                                                                                     (imagem via)

"Só a gente tem que saber encontrar a magia da nossa vida."

Li aqui neste texto. E se encaixou tão perfeitamente com o que minha cabeça matutava e meu coração assinava embaixo.

14 de fev de 2011

Essa tal de frescurice gastronômica


Eis que hoje em minha, praticamente diária, procura por blogs interessantes dou de cara com um fato. Antes dos poréns uma breve explicação. Ultimamente ando exaurida dos conteúdos dos blogs de moda. Sim, gosto e visito vários deles. Não, não sou afetadinha e nem tenho nenhum tipo de "itismo" tampouco tenho medo de admitir que me ligo sim em moda, porém mais como observadora do que aprendiz de manuais it fashions. Portanto também admito que nessas epócas das semanas de moda minha vontade de visitar tais blogs decresce significativamente visto que todos falam absolutamente o mesmo. Não entendo nada de desfiles, e nem faço questão, logo não curto. 
Dessa forma, eu como uma curiosa na cozinha em minhas aventuras culinárias e também como uma futura nutricionista também adoro ver blogs sobre comida, gastronomia e afins. E foi nesse passeio-cipó link atrás de link que me deparei com um artigo da Folha publicado no dia 8 deste mês. O título dele? "Arrogância gastronômica causa a volta da comida sem frescura". (clique aqui para ler).
Li. Concordei com umas coisas. Discordei de outras. E quando cheguei a uma conclusão apertei o botão de "nova postagem".
O grande problema de moda de qualquer coisa (desde a atual febre de super-novos-conhecedores-da-haute-couture até os pseudo-chefs) é pura e simplesmente ser moda. 
Quando na faculdade estudei Bioestatística, aprendi vários tipos de medidas. E uma delas é chamada Moda. O professor sempre dizia que era a mais fácil de se lembrar a definição  uma vez que a  Moda era simplesmente a medida que mais se repetia. That's all folks !
Seja pela exaustão das nossas vistas pelo agora tão idolatrado vintage ou pelo cansaço dos ouvidos a respeito do lanchinho da tarde do fulano ter sido foie gras, uma coisa é certa: nós que sempre nos esforçamos tanto para estar na moda, qualquer que ela seja, e que buscamos incessantemente fazer parte de um todo por vezes nos descaracterizando um pingo (ou muito) do que verdadeiramente nos pertence, no fundo odiamos toda essa busca. Porque, também no fundo, sabemos que ela é inútil.
Falar de frescurice gastronômica também deve estar na moda. Agora todo mundo vai criticar quem gosta um pouco mais de sofisticação e idolatrar os amantes do arroz e feijão (gastronômica e, posso dizer com autonomia, nutricionalmente A combinação).
É a moda minha gente. Essa coisa que inventamos e que não larga do nosso pé. A frescurice gastronômica é só uma ponta dessa avalanche de frescurices que a moda nos injeta. 
E por mais que eu já me incomode com essas modices em geral, confesso que com comida isso mexeu um pouco mais comigo. Comer é tão sagrado! E comer bem e do jeito que se quer e gosta é mais sagrado ainda.
Manja que ti fa benne!

Jour des Valentines !

                                                                          (imagem via)


Porque desejar Feliz Dia dos Namorados nunca é demais, mesmo que este seja comemorado em lugares diferentes do que estamos. Mesmo nossos dias sendo maravilhosamente gostosos como namorados desejo que mais esse seja feliz.
O motivo dos docinhos você sabe bem. De uma certa maneira fazem parte de mim e certamente de nós dois.

Heureux Jour de Valentines !

13 de fev de 2011

Um brinde...


                                                            (imagem via)

Pela felicidade. Pela satisfação de conseguir o que se quer. Pela luta. Pelo esforço. Pelos dias de angústia e ansiedade. Pelas expectativas que iam e vinham como ondas de um bravo mar. Pelo futuro que está por vir. Pelo sábio tempo que nos dá as recompensas de acordo com sua lógica. Pelo amadurecimento. Pela persistência. Pela paciência. Dias longos e noites curtas. Ao descanso que virá. Ao estudo que virá. Aos dias de aprendizado. Aos dias de avanço. A seu crescimento como pessoa. A abertura de horizontes. A infinita gama de possibilidades. A tudo que virá. E finalmente ao gosto doce e à sensação indescrítivel, que não se pode prever tampouco imaginar, de ver seu próprio nome escrito num papel.
Flores vermelhas e rosas respectivamente para paixão e amor. Para nós e para tudo que você faça em sua vida.

Parabéns!

12 de fev de 2011

Cinema 2011

Aqui vai minha lista de estreias muito, muito aguardadas para 2011

Água para Elefantes:
Pattinson e Whiterspoon num encontro inédito e com uma história aparentemente delicada e tocante. Há de se acrescentar a presença de Christoph Waltz que sem dúvidas será impecável. Assisti ao trailer quando fui ver Cisne Negro e achei o visual lindo.

Piratas do Caribe: navegando em terras misteriosas:
Apesar de não ser fã da saga (acho os filmes um pouco massantes), estou curiosa especialmente para esse pela presença de Penélope Cruz (na verdade quero ver se ela consegue se encaixar num papel assim) e pela curiosidade de saber o que será explorado, já que na minha opinião esta é uma seqüencia que já deu.

X Men: First Class:
Mesmo tendo detestado o último X Men, no qual achei várias coisas extremamente desnecessárias, espero por este com a esperança de um melhor desempenho. A história ajuda já que se trata da origem do conflito entre Magneto e Professor Charles. Talvez para os entendidos dos quadrinhos essa já seja uma informação conhecida, mas acho que mesmo assim dá pra ter uma expectativa sobre mais um X Men.

Namorados para Sempre (Blue Valentine):
Estou mais curiosa para ver como as memórias do casal serão exploradas. E a fotografia do filme parece ser bem bonita também. Vamos ver.

Lanterna Verde:
Adoro filmes de super heróis. Apesar de não gostar do Ryan Reynolds (não consigo desgrudar dele aquela imagem das comédias idiotas que detesto), o diretor do filme é o mesmo dos novos James Bond e dito isso acho que pode-se esperar uma roupagem diferente. Ahh, e também tem a Blake linda Lively!

Harry Potter e as Relíquias da Morte - parte 2:
 Mesmo não sendo super fã de carteirinha e nem lido nenhum dos livros, tenho que admitir que os filmes do Harry Potter tem algum tipo de mágica sobre a minha pessoa. Adoro os filmes e acho que idealização física de tudo é muito boa. Além disso assisti a parte 1 do Relíquias duas vezes, ou seja, estou bem ansiosa para ver o segundo (apesar de já saber o final de todos os personagens).

Capitães de Areia:
Acho que será bem interessante a adaptação para o cinema de uma história tão cheia de personagens marcantes. Apesar de não ter terminado o livro (é uma maldição que tenho com as obras de Jorge Amado) achei a história muito boa e será uma oportunidade de vê-la em uma outra linguagem.

Assalto ao Banco Central:
Pura curiosidade principalmente porque meu namorado já me contou essa história e achei super surreal. Vamos ver.

Cowboys & Aliens:
Além de ser uma adaptação de quadrinhos, as quais acho sempre muito interessantes, o encontro do experiente - a respeito de assuntos surreais - Harrison Ford com - o novo e sensível James Bond - Daniel Craig é quase mais inusitado que o próprio título do filme.

Capitão América: O Primeiro Vingador:
Pelo que li o visual do filme será sensacional além de minha simpatia já dita com  filmes de super heróis.

A Árvore da Vida:
Com certeza absoluta o que mais espero nos próximos meses. Brad Pitt e Sean Penn já seriam motivo suficientes para querer assistir. Mas o filme parece ir muito além de boas interpretações. Espero ver uma fotografia bonita, atuações impecáveis, uma história bem estruturada, além de muito sentimento. Quero muito ver !

Your Highness:
Confesso que me ganhou pelo elenco (Natalie Portman, James Franco e Zooey Deschanel), já que a história parece ser bem clichê. 

A Saga Crepúculo: Amanhecer (parte 1):
Tenho com Crepúsculo a mesma relação que descrevi com Harry Potter. Nunca li nehuma linha dos livros, mas aprecio os filmes. Note aqui uma diferença. Aprecio os filmes do Crepúsculo porque acho que cumprem a missão mais básica de um filme: entreter. Devo confessar que no último filme  da saga por um fio essa missão básica não foi cumprida. Foi um filme de mau gosto em muitos aspectos. Pra não falar só mal gostei bastante das histórias de como cada um tornou-se vampiro (para mim foram as partes que salvaram aquela desgraça). Mas mesmo detestando o último filme estou curiosa pelo próximo que tem filmagens na minha amada Paraty.

Não me abandone jamais (Never let me go):
Com um elenco de primeira (Keira Knightley, Carey Mulligan e Andrew Garfield) e um trailer que de uma certa forma não diz muito sobre a real da história, posso dizer que esse filme despertou minha curiosidade.

Thor:
Depois de tanto ouvir falar desse filme pelo namorado e sabendo que Natalie Portman e Anthony Hopkins também estarão, a curiosidade falou mais alto.

127 horas:
Me ganhou pela minha preferência por histórias baseadas em fatos reais e também por parecer muito mentira.

Pronto! Eis minha lista de filmes esperados para esse ano. O ano de 2011 está me parecendo bem melhor nesse quesito do que o anterior. Espero conseguir ver todos. 

Alguém por aqui também está ansioso(a) para algum(uns) da lista?




11 de fev de 2011

Parabéns !

Eis que hoje esse humilde blog completa um ano. Sim um ano. Trata-se de um baby blog.
Nesse um ano no ar gostaria de ter postado mais, bem mais. Mas muitas vezes não é nem que me faltasse assunto, mas o problema era com as palavras e a minha bendita paciência. Mas mesmo com tantas querências estou feliz, já que desde que tento criar um blog nunca havia completado um ano no mesmo espaço.
Parabéns para o blog.

2 de fev de 2011

Fato estranho

Eis que percebo um fenômeno estranho. A coisa é a seguinte: tenho absoluta certeza que todos os textos que escrevo aqui no blog têm uma qualidade absurdamente inferior àqueles que escrevo em meus cadernos. Sinceramente não sei porque. Na verdade até tem um motivo, mas acabo de perceber que ele é inconsciente (bom agora que já percebi não mais né). O fato é que tenho um medo secreto de escrever completamente da minha maneira e isso ficar por aqui na rede exposto e sem dono. Pronto falei !
Mas sabe, não é presunçoso esse meu medo. Ok, só um pouco. Mas fato é que a Internet tem esse petit problème. Essa nossa rede insana que nos faz saber de tudo em segundos, essa nossa maravilhosa rede tem seus dois lados e sabemos todos disso. 
Confesso que amo demais a Internet quando quero saber sobre um livro, autor, filme ou qualquer outra coisa e simplesmente digito no Pai Google e minutos depois sou uma pessoa um pouco mais sabida. Mas confesso que odeio demais a Internet não só pelas odiáveis redes sociais quando vejo frases, trechos, textos inteiros completamente copiados.
Todos nós sabemos demais que isso é crime. Crime mesmo. Nunca vou esquecer da vergonha que passei com uma professora da faculdade quando recebi um trabalho completamente rabiscado e com o seguinte aviso no topo: Não vou corrigir.Cópia literal !
Não sabia onde enfiar a cara. Ok, escolhi fazer com a disciplina errada (Pesquisa em Nutrição, uma matéria que ensina metodologia de absolutamente tudo) e também com uma professora super atenta a isso (ok, ela também fazia parte do Comitê de Ética da faculdade), mas me dei um desconto por simplesmente estar no fim do semestre e eu ter literalmente ligado o foda-se para um texto gigantesco de introdução (que devia ter no mínimo 20 referências bibliográficas...sim VINTE! ) que estava terminando de redigir às três e pouca da manhã e que ainda faltava um parágrafo inteiro de conclusão. Dei um copia e cola e fui dormir sem culpa juro.
Mas foi um puta mico, e depois disso fiquei super neurótica com esse lance de cópia de texto.
Mas então voltando à minha constatação. Falando em poucas palavras na verdade eu tenho medo que copiem minhas coisas e coloquem por aí. Ok, tá certo, sei que esse é um risco que a gente corre quando decide colocar alguma coisa na Internet. E também sei que uma vez na rede já era o assunto já que não tem como controlar pra onde vai.
Mas cada um com sua neurose né. O fato é: caso achem meus textos pobres, me desculpem, mas uma trava automática é ligada nessa minha cabeça quando aperto o botão de "nova postagem". Isso quer dizer que o que escrevo aqui tem um pouco, mas só um pouco a ver com o que tenho escrito em folhas.
Juro, é mais forte do que eu.