17 de jun de 2010

Born to be wild?


                                                                                ( imagem via)

Queria ter a coragem de ser artista. De viver de arte, respirar arte, produzir arte e viver disso. E caramba, haja coragem ! Queria ter a certeza que o que vejo atráves de lindas fotos é resultado de uma linda inspiração - sim, eu sei que não é tão somente - um ensaio de divino sabe. As cores bonitas, tudo muito bem produzido, as pessoas sorridentes e trabalhando com arte. Eu amo arte. De várias maneiras que não as tradicionais diga-se de passagem. Acho que se eu fosse um pouco mais corajosa seria artista. Se eu acreditasse um pouco menos no coro de sempre do tradicionalismo. Mas claro, tendo me rendido ao coro tento colocar um pouco de cor àquilo que escolhi para mim. Mas é dificil mesmo. Nem tudo você pode pintar do jeito que quer. E sem dúvida é muito diferente ter uma tela em branco te esperando, uma folha desejosa pra ser escrita, um violão esperando para ser dedilhado, uma latinha de spray e uma parede implorando por criatividade...sim é diferente das limitações do mundo cientifico. Mas acho que é justamente porque o pessoal que está do lado tradicional da coisa se distancia da arte que as coisas são como são. Claro que temos alguns exemplos de pessoas que não são artistas mas que tentam fazer de sua rotina um pouco mais colorida  - quando digo isso me vem imediatamente à cabeça aquele gari super simpático do Carnaval. Levar um pouco de arte para o que você faz, qualquer coisa que seja, seria maravilhoso. Tento sim, mas é tão dificil. Me perco quando saio um pouco do meu "mundo cientifico" e posso estar em contato com fotos, peças, roupas, musica, grafites, esculturas. Não, não consigo ir a nem metade das exposições, peças e mais milhares de coisas que vivo antenada para saber ( o que mais frequento mesmo é o cinema). Gostaria de ir mais, mas também acho que ficaria um pouco desejosa de fazer parte das coisas sendo construtora disso. O que mais impressiona são as mais diversas formas de se fazer isso. Admiro as pessoas que deixam seu lado artistico aflorar e mais ainda quem decide fazer isso da vida. É bonito, mesmo. Acho essencial entedermos o papel de cada um no mundo. O que me faz simplesmente não abandonar o que faço e virar artista não é apenas falta de coragem, mas também porque acredito que existem formas  de trabalho que abrangem mais pessoas do que a arte. Por mais triste que seja, sabemos que a arte não interessa a todos e ás vezes aos que interessa não é acessível. Quero dizer que também acho que a arte trabalha com uma parte essencial do indivíduo - que  é o prazer - mas a saúde também trabalha com o essencial. Em resumo são duas formas de  beneficiar outras pessoas com o que se sabe fazer, sendo apenas distintas e sabidamente de diferente abrangência. Sabe como é essa falsa ideia das pessoas de que vida de artista é fácil?  - ah, quando digo artista passo bem longe de definições globais ok ,digo arte genuína. Não acho que seja fácil, assim como a vida cientifica também não é. Mas que às vezes me parece mais bonito ser artista do que ser doutora isso sim não posso negar. É um lado meu que existe e que tento ao máximo exercitar por mais que tenha algumas limitações. Mas sigo tentando pintar meus quadros das cores que me são possiveis, observando o mundo, refletindo, conversando e tentando ser a melhor pessoa possível para as pessoas que eu amo...ah, vai amar é uma arte !

Um comentário:

Mel disse...

Carol!!!!
Não poder viver de arte - e da arte que se deseja - não é falta de coragem. Embora escolher viver pura e simplesmente dela, seja demonstração de coragem. Porque infelizmente a gente vive em um mundo que não dá valor para o artista, como se deve. Não como se dá valor para um doutor! Digo mundo, porque este problema não é só do Brasil. Minhas irmãs encontraram artistas maravilhosos no metrô de Nova Iorque (quando elas foram pra lá), por exemplo.
O importante é que você tem o seu ganha-pão e por este motivo, ninguém pode te tirar a arte que existe em você. Ou seja, você pode escolher fazer e presenciar o que quiser, por escolha própria, sem precisar dela para viver.
Achei seu texto de uma maturidade incrível. Deu vontade de mandar o link pra todo mundo ler!
beijos!