27 de fev de 2012

Mais um fim para um novo começo

Decidi parar de escrever um pouco aqui no blog. É engraçado como este espaço nasceu completamente despretencioso e admito que assim ele continua. Porém o que eu não esperava era que eu criaria uma relação tão íntima com isso aqui e ao mesmo tempo tão distante. Explico: desde sempre eu escrevo. Não em diários, mas em cadernos. Não necessariamente textos métricos com começo, meio e fim, mas sim, poesias, textos de uma frase só, histórias inventadas e com personagens da vida real. Este espaço, diferente de como tudo é na minha vida real, tem andado meio parado, esquecido, largado. Na verdade, digo esquecido somente porque não posto com frequência - fato este que é completamente oposto a minha vontade de escrever e mesmo à quantidade de assuntos que tenho para discorrer - mas de fato as postagens vêm escasseando. Outro fato é que cada vez mais, por circunstâncias da minha própria vida, minhas postagens têm todas o mesmo tom, e não sei se isso me agrada. Não quero parecer que estou sempre insatisfeita com a vida, ou revoltada - embora ande mesmo muito questionadora quanto a meu futuro - mas a verdade deste post é que de uma certa forma eu quero voltar a ter uma escrita mais livre. Não que meu blog seja super badalado - e  deixo aqui meu enorme agradecimento àqueles que vêm, leem e comentam por aqui com um carinho que não sei nem descrever - e seja submetido a um regime rigoroso de crítica, mas sinto que estou cerceando um pouco meus assuntos por medo de "parecer". Parecer reclamona, depressiva, chata, pessimista. E quando falo isso estou sendo completamente sincera porque sei que todo mundo tem medo de parecer uma coisa que não é.
Estou de verdade passando por uma fase de muitos questionamentos - em relação a minha vida como um todo, a profissão que escolhi, a pessoa que estou me tornando, se estou caminhado certo, e outras coisas mais - e não gostaria de compartilhar isso por agora, enquanto ainda estou ponderando e decidindo uma série de coisas, porque pode pesar demais. Não quero isso, mesmo.
Quero que este seja um espaço leve, onde eu escreva outro tipo de coisa e não tão somente minhas angústias e insatisfações.
Vou continuar a escrever e espero que a escrita me ajude como sempre ajudou a aliviar um pouco a barra - por mais que eu saiba que agora precisarei de uma ajuda de outro tipo pra segurar o que tá pesando.
Que fique claro que o blog não acabou. Mas que ele precisa parar um pouco para que eu continue. E saibam que quando eu voltar é porque a realidade mudou pra melhor.
Dizem que a tristeza é que é combustível para a escrita, e que da alegria nada sai porque ela não nos faz questionar nossa realidade. Pode até ser que tenha sido assim até agora, mas estou disposta a reverter esta maneira de produzir.
Até breve.

3 comentários:

Natália das Luzes disse...

a triste sempre impulsionou os artistas [poetas, músicos pintores], e nem por isso todas as artes são tristes ;)


até a volta
e boa sorte (:

beijinho!

Mel disse...

Eu entendo isso. Ficamos esperando seu retorno. E vale a pena dar este tempo!
beijo grande
Mel
Meu blog mudou de endereço!

Daniela de Freitas Guedes disse...

Ana, querida, estamos com saudades!