2 de fev de 2011

Fato estranho

Eis que percebo um fenômeno estranho. A coisa é a seguinte: tenho absoluta certeza que todos os textos que escrevo aqui no blog têm uma qualidade absurdamente inferior àqueles que escrevo em meus cadernos. Sinceramente não sei porque. Na verdade até tem um motivo, mas acabo de perceber que ele é inconsciente (bom agora que já percebi não mais né). O fato é que tenho um medo secreto de escrever completamente da minha maneira e isso ficar por aqui na rede exposto e sem dono. Pronto falei !
Mas sabe, não é presunçoso esse meu medo. Ok, só um pouco. Mas fato é que a Internet tem esse petit problème. Essa nossa rede insana que nos faz saber de tudo em segundos, essa nossa maravilhosa rede tem seus dois lados e sabemos todos disso. 
Confesso que amo demais a Internet quando quero saber sobre um livro, autor, filme ou qualquer outra coisa e simplesmente digito no Pai Google e minutos depois sou uma pessoa um pouco mais sabida. Mas confesso que odeio demais a Internet não só pelas odiáveis redes sociais quando vejo frases, trechos, textos inteiros completamente copiados.
Todos nós sabemos demais que isso é crime. Crime mesmo. Nunca vou esquecer da vergonha que passei com uma professora da faculdade quando recebi um trabalho completamente rabiscado e com o seguinte aviso no topo: Não vou corrigir.Cópia literal !
Não sabia onde enfiar a cara. Ok, escolhi fazer com a disciplina errada (Pesquisa em Nutrição, uma matéria que ensina metodologia de absolutamente tudo) e também com uma professora super atenta a isso (ok, ela também fazia parte do Comitê de Ética da faculdade), mas me dei um desconto por simplesmente estar no fim do semestre e eu ter literalmente ligado o foda-se para um texto gigantesco de introdução (que devia ter no mínimo 20 referências bibliográficas...sim VINTE! ) que estava terminando de redigir às três e pouca da manhã e que ainda faltava um parágrafo inteiro de conclusão. Dei um copia e cola e fui dormir sem culpa juro.
Mas foi um puta mico, e depois disso fiquei super neurótica com esse lance de cópia de texto.
Mas então voltando à minha constatação. Falando em poucas palavras na verdade eu tenho medo que copiem minhas coisas e coloquem por aí. Ok, tá certo, sei que esse é um risco que a gente corre quando decide colocar alguma coisa na Internet. E também sei que uma vez na rede já era o assunto já que não tem como controlar pra onde vai.
Mas cada um com sua neurose né. O fato é: caso achem meus textos pobres, me desculpem, mas uma trava automática é ligada nessa minha cabeça quando aperto o botão de "nova postagem". Isso quer dizer que o que escrevo aqui tem um pouco, mas só um pouco a ver com o que tenho escrito em folhas.
Juro, é mais forte do que eu.

3 comentários:

Mel disse...

Vivi com esta neurose há muito tempo. Pode fuçar e ver que lá no meu blog tem textos "fechados", precisam de senha pra serem lidos. Tenho muito medo de plágio... te entendo perfeitamente!
beijos

Joana disse...

Bom, na verdade você só precisa escrever aqui o que quer mesmo, sem medo. Então, se você não quer correr nenhum risco de ser copiada e tem medo de que isso aconteça, é bom deixar os melhores textos para os cadernos. É chato, mas de fato, cópias podem acontecer :)

natália das luzes disse...

eu sempre imaginei como seria o dia em que eu entrasse no blog de alguém e tivesse lá uma coisa que eu escrevi, copiado descaradamente. não sei se a emoção maior seria 'puxa, que legal, a pessoa curtiu', ou 'filho da mãe'. na duvida, e sempre bom deixar os creditos - ou as referências, com nome do autor, data de publicação e essas outras coisas que a gente aprende nessas disciplinas de metodologia ^^