24 de out de 2011

A velha crise, um novo começo

Queria voltar para casa e esvaziar o pote. Voltar a ser um pote vazio. Tolice. Encher o pote é um caminho sem volta. Querer me esvaziar é um ensaio tolo de querer ser outra pessoa. Parei com isso. Começo a ver uma luz, uma pequena fresta de luz que mostra meu reflexo do outro lado. Tento parir outra vida. Tenho que parir outra vida. Outro eu. Outro começo. Se não for assim o que resta é fim. 

2 comentários:

Nina Vieira disse...

Desfazer-nos de nós mesmos? Se tiver receita, me passa?

Mel disse...

Oi Carol!!!!!! Cá estou eu.
Tenho que te dizer que seus textos são tão intensos e apaixonados que você bota a Clarice Lispector no chinelo!!!! rs....
é bastante sabedoria, esta constatação que você escreveu.
beijo!