28 de set de 2010

Fragmentos


Fragmentos nós somos de um pouco de tudo. " De cartas, poemas, mentiras, retratos" com a licença de Chico Buarque. Fragmentos do que queríamos ser, do que esperamos ser ou mesmo do que os outros gostariam que fôssemos. Fragmentos de pais, mães, irmãos. Fragmentos de momentos vividos e não vividos. Fragmentos de saudade do que foi ou do que ainda nem aconteceu. Fragmentos agudos, finos ou graves. Outros pontudos, afiados e com lâmina de corte. Não importa. Somos e seremos sempre parte de um todo. Parte de nós mesmos até, que nunca nos enxergamos inteiros - mesmo nos melhores espelhos. Sempre falta um ainda para completar ou um já foi para lamentar a incomplitude. Parece até que ser completo não tem graça. Parece até falso esses indivíduos que gritam por aí sua inteireza. Inteiros nunca seremos - e quem bom - porque nunca nos faltará motivo pra buscar o novo e este, por mais inteiro que seja, aos poucos se transforma em pedaços que se encaixam em cada fragmento da sua vida, até que se transforma em seu. Há essas pequenas particularidades em cada fragmento, cada um no seu qual e tal com sua importância.
Deixe que, aos poucos e da melhor forma, todos juntem suas peças.

Um comentário:

Mel disse...

Mas que beleza de texto, dona Carol!!!! Perfeito!!!! Muita sabedoria e serenidade. Parabéns, sou fã.
beijo!!!